Divulgação de defesa de dissertação do PPG em Ciência do Solo/UFC: DISCENTE: CARLOS ROBERTO IRIAS ZELAYA

18 de fevereiro de 2020

O discente Carlos Roberto Irias Zelaya, do Programa de PÓS-GRADUAÇÃO EM CÊNCIA DO SOLO, irá defender sua dissertação de mestrado dia 20/02/2020 às 14h, na Sala 105 do Departamento de Ciências do Solo, bloco 807, Campus do Pici.

O título da dissertação é: “TRANSLOCAÇÃO DE METAIS PESADOS EM PLANTAS DE MELÃO (Cucumis melo) CULTIVADO EM UM SOLO DA MESORREGIÃO DO JAGUARIBE DO ESTADO DO CEARÁ ”.

PALAVRAS-CHAVE:

Ácidos orgânicos de baixo peso molecular. Fator de Bioacumulação (FBA). fator de transferência (FT). proteínas. poluição do solo

 

RESUMO:

O acúmulo de metais pesados em plantas cultivadas é considerado um grave problema ambiental e de saúde humana, devido, muitas vezes, ao uso indiscriminado de fertilizantes e defensivos agrícolas. Uma vez nas plantas, os metais podem se acumular nos órgãos provocando estresse e inclusive perturbações do tipo homeostase iônica celular, mas também, as plantas podem desenvolver mecanismos de defesa para diminuir o estresse. Assim, o objetivo deste trabalho foi identificar fatores que influenciam a translocação de metais pesados presentes no solo por efeito da atividade agrícola para os diferentes órgãos da planta (raiz, caule, folhas e fruto) ao longo do ciclo vegetativo de melão amarelo var. Natal em um solo da mesorregião do Jaguaribe do estado do Ceará. Para isso, foram coletadas amostras de solo de uma fazenda do Grupo Agrícola Famosa e caracterizadas quanto aos seus atributos físico-químicos e determinados os teores de cobre (Cu), zinco (Zn), cadmio (Cd) e chumbo (Pb). Também foram coletadas amostras de tecido vegetal e rizosfera aos 0, 15, 30, 45 e 60 dias após transplantio (DAT) e, determinados os teores de metais pesados, proteínas nos tecidos vegetais e na rizosfera os ácidos orgânicos de baixo peso molecular. Posteriormente, foram calculados o fator de transferência (FT) e fator de bioacumulação (FBA). Os dados foram analisados estatisticamente por métodos multivariados e estatística descritiva. Também foram testados a análise de correlação entre os teores de metais pesados, proteínas e ácidos orgânicos dos órgãos da planta com os teores de metais pesados na rizosfera. Na rizosfera os teores dos metais pesados ao longo do tempo apresentaram a seguintes tendências; para o Cu 0 = 15 = 30 >45=60 DAT; para o Zn 15 = 30 = 60 >45 >0 DAT; para o Pb 15 = 30 = 45 = 60 > 0 DAT; e para o Cd 60 > 15 = 45 > 0 = 30. Os teores de ácido oxálico ao longo do ciclo do plantio na rizosfera apresentaram a seguinte tendência 60 > 0 > 15 > 45 > 30 DAT e para o ácido cítrico 0 > 45 > 15 = 30 = 60. Os teores dos metais nos tecidos ao longo do ciclo do plantio apresentaram a seguinte tendência; o Cu na folha aos 45DAT apresentou seu teor mais elevado: o Zn no fruto aos 30DAT seu maior teor, para o Pb na raiz aos 15DAT o teor mais elevado e o Cd apresentou seus maiores níveis aos 0DAT na raiz, caule e folha. O FBA apresentou valores superiores a um para o Cu na raiz em todo o ciclo vegetativo, na folha em torno aos 30 e 45 DAT, os FBO do Zn valores superiores a um na raiz em todo o clico vegetativo na folha e fruto em torno dos 30 e 45 DAT para o Pb valores superiores a um na raiz aos 15 e 45 DAT e para o Cd valores superiores a um ao início do cultivo na raiz, caule e fruto. O FT apresentou valores superiores a um para o Cu na folha aos 45 DAT, para o Zn na folha aos 30 e 45 DAT para o Pb na folha aos 60 DAT e para o Cd no fruto aos 30DAT. O ácido oxálico apresentou correlações positivas com o Cd da rizosfera e raiz, Pb da folha e correlações negativas com Cu e Zn do caule e Cu, Zn Pb e Cd do fruto; o ácido cítrico apresentou correlações positivas com Cd da raiz e caule e folha e Zn e Pb do caule e correlações negativas com a Zn, Pb e Cd da rizosfera, Cu, Zn da raiz e Zn, Pb e Cd do fruto. A proteína da raiz correlaciono positivamente com o Cu e Pb da raiz, a proteína do caule apresentou correlação positiva com e Zn do caule a proteína da folha correlação negativa com o Pb e Cd da folha e a proteína do fruto correlações positivas com o Cu, Zn, Pb e Cd do fruto. Pelos dados obtidos conclui-se que tanto os teores de proteína nos tecidos da planta como os teores de ácido oxálico e cítrico liberados pela planta na rizosfera têm uma influência na absorção, acúmulo e translocação de Cu, Zn Pb e Cd nos diferentes órgãos da planta de melão amarelo var. Natal ao longo do ciclo do cultivo.